O Dia Mundial das Redes Sociais foi uma data criada pelo site Mashable em 2010, como uma forma de reconhecer a revolução digital que fez dos media um ambiente social, celebrando-se desde então a 30 de junho.

Portugal associou-se à data logo no ano da sua criação, em 2010.

O Dia Mundial das Redes Sociais acontece a 30 de junho.

O dia é comemorado com a organização de encontros informais de pessoas de todo o mundo por meios tecnológicos ou presencialmente. Alguns eventos são transmitidos online em direto e são abertos a todos, para tornar a data verdadeiramente social. O destaque dos encontros vai para a partilha de conhecimentos sobre as áreas transversais às redes sociais e sobre as especificidades destas.

Alguns destes eventos transmitem imensa informação para profissionais de redes sociais e/ou Marketing de maneira gratuita, dos quais podemos destacar, por exemplo o Social Media Day Summit.

De facto, a cada dia que passa as redes sociais ganham mais importância. Apesar de certas redes sociais pioneiras como o Myspace já não serem relevantes, outras tornaram-se obsessões, como o Facebook e o Twitter. As próprias empresas reconheceram a importância das redes sociais, recorrendo a sites como o LinkedIn para contratar trabalhadores. Snapshat, Vine e Instagram são outros exemplos de plataformas sociais populares.

Uma Rede Social é uma estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que compartilham valores e objetivos comuns. Uma das fundamentais características na definição das redes é a sua abertura, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes. “Redes não são, portanto, apenas uma outra forma de estrutura, mas quase uma não estrutura, no sentido de que parte de sua força está na habilidade de se fazer e desfazer rapidamente.”

Muito embora um dos princípios da rede seja sua abertura e porosidade, por ser uma ligação social, a conexão fundamental entre as pessoas se dá através da identidade.

As redes sociais online podem operar em diferentes níveis, como, por exemplo, redes de relacionamentos (Facebook, Twitter, Instagram, Google+, Youtube, MySpace, Badoo), redes profissionais (Linkedin), redes comunitárias (redes sociais em bairros ou cidades), redes políticas, redes militares, entre outras, e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua atividade, como os indivíduos alcançam os seus objetivos ou medir o capital social – o valor que os indivíduos tiram da rede social.

As redes sociais têm adquirido importância crescente na sociedade moderna. São caracterizadas primariamente pela auto geração de seu desenho, pela sua horizontalidade e sua descentralização.

Um ponto em comum entre os diversos tipos de rede social é o compartilhamento de informações, conhecimentos, interesses e esforços em busca de objetivos comuns. A intensificação da formação das redes sociais, nesse sentido, reflete um processo de fortalecimento da Sociedade Civil, em um contexto de maior participação democrática e mobilização social.

Com as diversas redes sociais, os consumidores estão em contato constante com as marcas. Este fato resulta da revolução tecnológica que, com tablets e smartphones, coloca o mundo nas mãos do consumidor, e tem, como consequência, uma revolução ao nível do marketing e da forma como as empresas se comunicam com os consumidores. Devido a este fenómeno, as marcas, nas mais diversas áreas de negócio, estão a perceber-se de que as técnicas de marketing tradicionais estão a tornar-se cada vez menos eficazes e mais dispendiosas, isto porque a segmentação no marketing “tradicional” é muito menos eficaz e a medição do impacto não é imediata, o que acontece com o marketing digital e, principalmente, com o marketing das redes sociais.

As marcas já não conseguem controlar nem a sua comunicação nem o que se diz sobre elas nas redes sociais. O consumidor assumiu o controle e é participativo em todo o processo de comunicação, chegando mesmo ao ponto de as marcas terem que apresentar conteúdos relevantes, pertinentes e adequados aos desejos e necessidades dos consumidores de forma a terem “permissão” para falar com eles. Este fenómeno está diretamente ligado a um conceito emergente no marketing e comunicação: earned media (“mídia conquistada”).

Hoje em dia, com o constante acesso à Internet e, consequentemente, às redes sociais, os consumidores transmitem a sua opinião de maneira honesta sobre todas as suas experiências com o seu grupo de influência (amigos e seguidores). O que acaba por acontecer é que, as pessoas começam a confiar mais nestas avaliações e informações dadas pelos próprios consumidores, do que nas comunicações da marca.

Comunicação do Consumidor nas Redes Sociais

Marketing nas Redes Sociais

As redes sociais criaram uma nova forma de exploração das dinâmicas de relacionamento entre as empresas e os seus clientes, o marketing nas redes sociais é mais pessoal e interativo do que qualquer outro meio, no entanto é também necessário ter em atenção de que estas novas ferramentas que surgem todos os dias são cada vez mais complexas e de difícil entendimento para o utilizador mais comum. Uma gestão profissional de marketing nas redes sociais exige o estudo e conhecimento de outras áreas como por exemplo as comunidades virtuais e as conexões. O marketing e a comunicação atravessam, portanto, hoje, um caminho que se pauta pela existência de diversificados canais de comunicação, com duas vias, através dos quais as marcas dialogam com os seus consumidores e vice-versa.

As redes sociais online apresentam-se atualmente como uma plataforma de interação com clientes e potenciais clientes, promovendo a fidelização. Permitem ainda que esta mesma interação seja em tempo real uma vez que estando estas Redes ligadas 24 horas/dia, 365 dias/ano as empresas e os seus utilizadores estão conectados quase que automaticamente, sabendo sempre a opinião de cada um. Por exemplo, a empresa lança um produto novo mas quer saber se o mesmo irá ter ou não sucesso no mercado, poderá efetuar um questionário aos seus seguidores e após tratamento das respostas sabe se será aceite ou não consoante está ou terá que ser alterado. Isto tudo em tempo real ou numa questão de dias, enquanto que através de outros sistemas antigos isto era tudo muito mais complicado e demorado. As redes sociais permitem mesmo à empresa uma espécie de estudo de mercado com um custo baixíssimo.

De todas as redes sociais existentes nos nossos dias, talvez o Facebook seja aquela que parece ter o maior impacto dada a sua dimensão e alcance e dada a sua capacidade em também de se evoluir e se reinventar, através dos muitos comentários dos seus milhares de utilizadores.

Consciente do poder e potencial das redes sociais, a BeWide tem como objetivo ajudar que todas as empresas possam crescer e apresentar resultados neste meio, através de uma equipa ativa, capaz e dinâmica.

Para isso basta basta que crie uma página de facebook (ou outra rede social) para a sua empresa e nós trataremos do resto! 

orçamento-be-wide-button

Orçamento Grátis e Sem Obrigação

Oferecemos serviços digitais desde Web Design, Desenvolvimento Web, Design Gráfico, Marketing Digital, Domínios & Alojamento e muito mais!